O reencontro

Te vi ontem no metrô e fiquei lá atrás para não ser visto. Minhas pernas ficaram bambas, meu coração disparou, meus olhos se encheram de lágrimas… Fazia tanto tempo que não te via…tantos anos…
Não sei a reação que teria se me acusasse a sua frente. O que você diria? O que pensaria? Com certeza seria cordial e me daria um beijo no rosto. E só.  É, as vezes foi melhor ficar a distância, nos privaria de um momento constrangedor. O que eu te perguntaria? Como anda a vida? Depois de tudo o que hove entre a gente?
Na verdade, o que eu gostaria de te perguntar seria uma única coisa: Se eu não tivesse pisado na bola, você estaria comigo ainda? Ou o amor é algo que não nos escolheu mesmo e você invariavelmente cairia nos braços lusitanos, me trocando por um chamado maior? Pena que não tive a coragem, vai ver foi melhor assim mesmo, sem contato, sem antigas feridas abertas…

– B.J

Seu colo

Seu colo, não dá mais, sem explicação
Tudo o que eu mais queria era você perto de mim,
mas mentir para você agora, é mentir para mim.
Sendo assim, não dá mais para segurar essa vontade de você fora daqui.
Tentei, juro que tentei,
Mas o Amor é muito isso, é o encaixe, é o convívio.
Com você não tinha  vícios, sem história, sem graça.
Eu estava em você quando você não estava em mim,
Agora eu não estou mais em você, não queira estar em mim,

– Stefano Libacci

O que aconteceu fotógrafa?

Ela sozinha a seis meses,
Ele a um ano.

Ele a encontrou,
Ela o aceitou.

Ela fotógrafa,
Ele escritor.

Ela é workaholic,
Ele é um nerd.

Ela falou de seus gatos,
Ele de seu cachorro.

Ela falou de sua profissão,
Ele de sua paixão.

Ela mostrou suas fotos,
Ele mostrou seus textos.

Ela o convidou a pular de paraquedas,
Ele já havia aceitado.

Ela perguntou se tinha medo de ser feliz,
Ele respondeu que não mais.

Ela adorou a conversa,
Ele já estava apaixonado.

Ela passou seu telefone,
Ele passou o seu.

Ele queria se encontrar novamente,
Ela aceitou o convite.

Ele ficou aguardando o dia,
Ela eu não sei.

Ele ligou,
Ela não atendeu.

Ele tentou ir atrás,
Ela havia sumido.

Ele não entendeu que o sentimento dela foi um flash de sua câmera,
Ela não entendeu que o sentimento dele era escrever um romance.

– B.J.

Jaz uma linda idiossincrasia acróstica no amor

É a primeira vez que te vejo depois de muito tempo,
só sinto o calafrio da surpresa,
já olho sua foto sem remoer o passado,
sem remorso, sem culpa.

Tinha de ser assim.

No passado não imaginava o futuro longe de ti,
e no presente nada faz falta.

O que “tem que ser” é aquilo que fazemos,
as escolhas que tomamos,
os caminhos que trilhamos.

Nós somos o acaso.

Não espero que entenda nada do que escrevi,
na verdade prefiro que não leia,
só desejo (desta vez) sinceramente,
que seja feliz,
de coração.

– Baccili Junior

Carta a José

Olá José, como vai?
Espero que leia esta carta, já faz muito tempo que tento falar com você. A última vez que te vi foi a quase dois anos, depois disso você sumiu e ninguém mais soube de notícias sua.
Nunca mais fomos correr no parque aos finais de semana, nem fazer barras, tampouco tomar açaí e água de coco enquanto conversávamos sobre nossos projetos. José, quando nos vimos pela última vez você estava tão cheio de si, animado, com sonhos, planos, e uma energia pela vida que contagiava todos ao seu redor. Onde está aquele homem forte, com olhar vibrante, sorriso estampado no rosto e semblante de muitos amigos? Lembro-me muito bem da época em que você fazia todos caírem na gargalhada com apenas um olhar ou uma palavra bem colocada, você realmente tinha o dom de fazer as pessoas rirem.
Você tinha sonhos e aspirava alto, tinha sede em mudar tudo a sua volta e desejava algo a mais do que ser apenas mais um na grande e cinzenta corredeira andando pelas artérias congestionadas e venenosas da pulsante selva de pedra. Você queria mais, muito mais, e, até o dia que você sumiu, estava conseguindo realizar seus sonhos.

Onde está o seu grande Amor José? Aquela mulher que fazia tudo para te ver bem, que colocava o Amor que tinha por você acima de seu respeito próprio, e suportou todos os seus erros e vacilos com a delicadeza que só uma pessoa com um sentimento tão puro poderia suportar. José, aprenda que todos erram na vida, e o seu erro foi em não perceber que ela era especial. Infelizmente a gente só percebe as pessoas que fazem diferença na nossa vida quando elas se vão. Ela está em paz agora, acredite.

Te invejava um pouco porque você tinha uma saúde de ferro, e se ficava doente, logo no dia seguinte já estava pronto para outra, ainda mais forte do que antes. “O que não me mata me fortalece”, não era o clichê que dizia para você mesmo? Eu me lembro bem, você tinha muita força mental e física. Essa energia está fazendo falta aqui.

Meu amigo, você tinha muita vontade de aprender coisas novas, e de certa maneira isso te deixava mais vivo, mais jovem. Quantas vezes você não dormia empolgado por ler Nietzsche, Gandhi, Jung, Clarice, Jabor ou até mesmo Michael Moore? Suas inúmeras divagações te inquietavam e serviam de combustível para continuar buscando sabe-se lá o que…

E hoje José, você ainda vê cores na sua vida? Você ainda encontra um motivo para acordar no dia seguinte?

Cadê você José?

– Baccili Junior

Flores não são mais românticas?

Olá!

Eu sou um romântico antiquado. Na minha época expressava-se sentimentos de afeto como carinho e amor com presentes como ursinhos de pelúcia, cestas de café da manhã, cartas e o mais lindo de todos: Flores.

É meu amigo, flores! Não existia hora nem lugar, uma dúzia delas era capaz de sacudir qualquer coração, balançar estruturas e fazer toda mulher começar a considerar um pouco a pessoa que a deu. E não estou falando do entregador.

Dar flores era a arma mais poderosa contra um coração ressentido, um amor impossível ou uma pessoa indiferente.  Como diria Vinícius:

” (…) Que uma rosa não é só uma flor
Uma rosa é uma rosa é uma rosa
É a mulher recendendo de amor”

Bons tempos aqueles…

Hoje em dia tudo mudou, as flores não tem mais o mesmo impacto, a mesma alegria, o mesmo sentido. Dar flores se tornou fora de moda! Não se pode mais recebê-las no seu trabalho! É vergonhoso e constrangedor demais ser exposta ao ridículo das flores.

É, estou ficando velho mesmo… hoje em dia o romance está nos 140 caracteres do twitter, no SMS cheio de palavras truncadas como “vc”, “tb”, “s2” e no “curtir” do Facebook.  Não preciso mais me preocupar em fazer uma letra bonita para mandar um cartão porque ele é virtual, e não preciso me preocupar em ser sofisticado e criativo, porque afinal de contas, para que servem as frases feitas para envio de SMS no celular?

O problema é que eu não sou tão velho assim, pertenço a geração Y e estou acostumado com tecnologia, mas fui pego de surpresa pela banalização de um gesto…  Será que existe alguém hoje em dia que ache o mesmo que eu, ou seria o romantismo como o conheci algo do século passado?

– Baccili Junior